domingo, 11 de junho de 2017



Hoje despeço-me...

O tempo passou por nós e afastou-nos lentamente, tão lentamente que não nos demos conta que hoje nada sobra a não ser as lembranças daquilo que um dia foi o nosso tempo. Já estou sem ti há tanto tempo que já não lembro a última vez em que falamos.
A vida afastou-te de mim ou eu de ti, não sei. Mas é provável que tenha sido eu a desistir primeiro. A deixar-te sem noticias ou a demorar nas respostas que esperavas. Talvez tenha sido eu a cansar-me desta vida que teimou em passar devagar arrastando com ela um sentimento que já não tinha por onde crescer.

Perdoa-me se eu fui a causa de muitas ausências e se no lugar das palavras doces que sempre trocamos, deixei que o silêncio fosse a minha voz.
Não me leves a mal por hoje ter encontrado finalmente a força para uma despedida, acabando de vez com qualquer hipótese de regresso. Já não vale a pena. Já nada posso fazer para recuperar aquele amor tão suave que embalou os meus sonhos. Foi preciso acordar para a vida para descobrir que afinal esse sonho nunca seria realidade.
Não quero com isso, dizer que vou esquecer seja o que for...não o poderia nem que o desejasse. E tenho a certeza que o esquecimento seria o início para um recomeço na minha vida. Mas não vou esquecer porque em cada dia, continuas tão presente em mim. Todas as emoções estão intactas apesar da distancia e do tempo que que as levaram à solidão.

Vou continuar a sorrir sempre que a memória te encontrar numa palavra, num gesto...num lugar. Vou recordar cada momento contigo nas histórias que os livros contarem. Mas em cada um deles, agora, estará a palavra fim.

Estava na hora de te dizer que a esperança foi um sentimento louco no qual eu mergulhei e foi preciso naufragar para sentir que não posso mais respirar por nós, que tenho de o fazer por mim.

É um adeus que hoje, deixo aqui... E não vou dizer-te que apesar de tudo, continuo a amar-te do mesmo jeito... Não o vou dizer porque sei que ias acreditar em mim e ias encontrar um meio de me segurar mais um pouco nessas memórias do que fomos. Não te vou mentir dizendo o contrario...por isso hoje, nesta despedida, guardo este amor que me fez viver, na caixinha do meu coração e enterro-a no baú da saudade.

Hoje escrevo-te porque termina aqui a vida que um dia sonhei contigo. 

SonsCalados